SUBSCREVA NOSSO FEED FEED DE COMENTÁRIOS

A Origem do Champagne

Postado por Educação Ativa domingo, 21 de novembro de 2010


Produzido na região administrativa de Champagne-Ardene, nordeste da França, o"Champagne"ou"Champanha"como alguns também o chamam, nada mais é do que um vinho branco ou rosado, produzido através da fermentação de uvas, de uma ou mais espécies.
Na região de Champagne contudo, usam-se apenas uvas das espécies, chardonnay, pinot noir e pinot meuniér.
Foi nesta região, mais precisamente no povoado de Hautvillers no século XVII, que um certo monge, depois de anos de observações e estudos, conseguiu enfim desenvolver a correta, ou acidental técnica de fermentação do vinho, e transformá-lo no tão famoso "Champagne".
Seu nome, Dom Pérignon!

Contando com a ajuda de Dom Ruinart, um outro monge beneditino, Pérignon foi por muitos anos, o responsável pela "adega"da abadia de Saint Pierre de Hautvillers, considerado um cargo de alta relevância naquela época.
Durante este tempo , Pérignon teve muito trabalho.
Além de levar a palavra de Deus aquela pequena comunidade religiosa, teve que transformar uma pequena adega em destroços, em uma vinícola lucrativa.
Pouco tempo após receber esse cargo, Pérignon traçou uma estratégia a princípio estranha, mas que com o tempo se mostrou eficaz.
Durante alguns anos, ele acompanhou, o nascimento, crescimento, desenvolvimento e a reação de algumas espécies de uvas, com relação principalmente ao clima e as misturas de espécies.
Foram dele, as primeiras experiências bem sucedidas de misturas de uvas, de diferentes vinhas, no que se refere a harmonia de sabores e aromas.
Seu cuidado era tanto, que chegou ao ponto, de não permitir que outra pessoa, além dele fizesse a prova das uvas que iriam para a fermentação.
Para isso deixava as uvas passarem a noite ao ar livre, para então degustá-las ainda em jejum, logo na manhã seguinte.
Com Dom Pérignon a enologia deixou de ser apenas um nome dado a uma técnica, e passou a ser uma verdadeira ciência.
A história premiou Dom Pérignon, com o que para alguns ainda é dúvida, o de ser o inventor da técnica de fermentação do vinho de Champagne em garrafas.
Anteriormente as garrafas eram fechadas com "cavilhas" de madeira, envoltas em estopas embebidas em óleo.
Achando aquela forma de vedar a garrafa, feia e com pouca higiene, Pérignon teve a idéia de outra forma de vedação, derreter cera de abelhas no gargalo das garrafas.
Após algum tempo, sem nenhuma explicação as garrafas começaram a explodir deixando Pérignon,  assustado e curioso.
Quase fora de si de tanto imaginar o que poderia ter acontecido, enfim ele descobriu.
O contato do açúcar contido na cera de abelha com o vinho, provocou uma nova fermentação, desta vez interna, provocando uma efervescência fora do comum.
O resultado foi a explosão das garrafas, que não aguentaram a pressão .
O que parecia uma tremenda falta de sorte, na verdade era um descobrimento festejado até os dias de hoje, o método Champanhês, ou simplesmente o aparecimento das primeiras garrafas de Champagne.

Mais tarde Nicole Ponsardin, a famosa viúva Clicquot, ou Velve Cliquot, desenvolveu uma técnica para retirada de todo o fermento da garrafa, permitindo que o Champagne não tivesse mais o aroma residual de levedo, comum nas primeiras garrafas.

Pérignon faleceu em 1715, e seus restos mortais foram depositados em frente ao coro da igreja de Hautvillers.

                                                                Leia também
                                                        Você sabe o que é Caviar?
                                                                   

Você sabe o que é Caviar?

Postado por Educação Ativa quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Uma das iguarias mais caras e mais valorizadas do mundo gastronómico, o "caviar" consiste em ovas de "esturjão", não fertilizadas envoltas por uma solução salina.
O "verdadeiro" caviar tem procedência, principalmente de dois países, Irã e Rússia.
Estas ovas, são colhidas por pescadores do "Mar Cáspio", principalmente de uma espécie de peixe conhecida como "Esturjão Beluga", que é conhecida por fornecer o melhor caviar do mundo.

Até algum tempo atrás, uma fêmea de beluga, quando "ovada" continha até 25 % do seu corpo de ovas de caviar, o que nos últimos 5 anos não acontece mais, além disso a quantidade de beluga tem diminuído de uma forma vertiginosa, grande parte devido a problemas ecológicos e fatores naturais acontecidos no Mar Cáspio.
Principalmente por causa disto, o preço tem se tornado exorbitante, o que levou ao uso de ovas de outras espécies de esturjão e peixes, como forma de baratear e manter a disponibilidade de caviar.
O principal temor de Iranianos e Russos, é que aconteça o mesmo que aconteceu aos Estados Unidos, que no século XIX, eram os maiores produtores mundiais, mais que devido ao abuso e falta de controle, foram perdendo espaço e produção.
Os peixes mais usados além do beluga, são: Salmão e Bonfim (Bowfin).
Considerado um artigo de luxo desde então, foi se criando um certo ritual quanto a forma de preparo e de consumo da iguaria.
Regras foram estabelecidas e não observá-las é considerado um pecado irreparável.
Alguns deles são:
O caviar jamais deve ser servido com colheres de metal, pois pode comprometer o seu sabor.
Caviar verdadeiro, deve ser servido em colheres feita de ossos, madrepérolas, carapaças de tartaruga ou em finas e delicadas fatias de pão torrado.
Caviar deve ser comido de uma só vez, seja em colheradas ou em torradas, além disso deve ser brindado antes de levá-lo a boca.
Quando perguntado a um gourmet, o que tem de tão especial o caviar, a resposta é imediata....
O que mais me atrai é imensa explosão de sabores e aromas sedutores, que sinto exalar em meu paladar.... pois é.., cada um com seus desejos, ambições e sonhos né?

                                                                     Leia também
                                                     As comidas mais caras do mundo
                                                                        






















Risoto de Frango com Manjericão

Postado por Educação Ativa segunda-feira, 15 de novembro de 2010


É incrível, a quantidade de possibilidades que nos oferece o risoto.
Seja de legumes, frutos do mar, funghi, carne suína, bovina, de frango , temperos diversos....ufa!
Uma verdadeira maravilha para os amantes deste grão.
Para quem gosta de um risoto mais moderado, mas não tão leve, apresentamos hoje o risoto de frango, lembrando, que para quem não gosta do sabor adstringente do manjericão, vale a troca por rúcula, ou até mesmo agrião.
Bom apetite!!!!!!!!!!!!!!

Ingredientes:

  1. 400 gr de arroz arbóreo 
  2. 400 gr de peito de frango (sem osso) 
  3. 100 ml de azeite de oliva
  4. 100 gr de cebola (ralada)
  5. 2 colheres (sopa) manteiga sem sal
  6. 900 ml caldo natural de frango (receita aqui)
  7. 100 ml vinho branco seco
  8. 1 colher (sopa) folhas de manjericão 
  9. 100 gr de tomate italiano (sem pele e picados)
  10. 200 gr parmigiano(ralado)
  11. sal e pimenta branca  á gosto
Preparo:

Pique o frango em cubos pequenos, e tempere com sal e pimenta branca.
Enquanto isso, coloque caldo de frango, para aquecer.
Em outra panela coloque o azeite de oliva, para aquecer em fogo médio.
Coloque o frango para fritar, no azeite.
Em seguida junte o arroz e continue fritando, tomando o cuidado para não queimar.
Junte a cebola a mistura, e espere até "alourar".
Junte o vinho branco sobre a mistura de arroz, frango e cebola, e espere o álcool do vinho evaporar, preservando apenas o sabor e o aroma, que é o que nos interessa.
Aos poucos, sempre aos poucos, vá colocando o caldo de frango, sobre a mistura, sempre mexendo e sempre esperando o líquido reduzir, para acrescentar mais.
Quando o arroz estiver cozido, mais ainda "al dente",  acrescente os tomates e a manteiga, e misture bem.
Por fim junte o manjericão e parmigiano, tomando o cuidado para se misturarem por igual ao risoto.
Acerte o sal, coloque em um prato, de preferência fundo e decore com folhas de manjericão.


Serve: 4 porções. 

                                                  

                                                                 Experimente também
                                                                Risoto de frutos do mar

Frango à caçadora

Postado por Educação Ativa sexta-feira, 12 de novembro de 2010


Tradicional na região da Toscana e no norte da Itália, o Pollo alla  Cacciatora é um prato de fácil preparo, e mesmo assim delicioso e inigualável.
Preparado com ingredientes simples, como frango, cebola, alho e vinho, historiadores acreditam que a receita tenha surgido em meio aos camponeses, que em dias festivos usavam o que tinham de ingredientes, para preparar as iguarias para os comensais.
Aqui no Brasil, existem várias versões, algumas mais "puxadas"para o ensopado, outras para o assado de panela, umas com vinho outras com molho rôti..... e assim vai.
Hoje, postamos para os nossos leitores, uma versão que mais se assemelha a original.
Bom apetite!!!!!!!!!

Ingredientes:
  1. 1 frango de +ou- 2 kg (cortado em pedaços)
  2. 2 dentes de alho (amassados)
  3. 150 gr de cebola (picada)
  4. 250 gr de champignons frescos (fatiados)
  5. 300 gr de tomates italianos (picados e sem pele)
  6. 50 ml azeite de oliva
  7. 150ml vinho branco seco
  8. 150 gr de cenouras (em cubos)
  9. 150 gr de talos de aipo (picados)
  10. 2 colheres (sopa) de salsinha (picada)
  11. alecrim, sal e pimenta branca á gosto.
Preparo:

Tempere o frango com o alecrim, o sal, o alho e a pimenta branca e deixe descansar por pelo menos 6 horas.
Coloque o azeite para aquecer, em uma panela não muito rasa, e coloque o frango para fritar.
Após o frango estiver bem frito, escorra o excesso de gordura, que se formou .
Volte com o frango para o fogo e acrescente a cebola, a cenoura, e o aipo sempre mexendo, para não queimar.
Quando os temperos, estiverem "corados", junte os champigons o tomate e o vinho.
Deixe refogarem por uns 5 minutos e junte água, suficiente para cobrir os ingredientes.
Deixe ferver, até o líquido reduzir pela metade, ou o molho se tornar espesso.
Acerte o sal junte a salsinha e sirva, com arroz branco ou torradas de pão de ervas.

                                                     Experimente também  
                                                       Frango na cerveja
                                                              

                                                              

Risoto de Frutos do Mar

Postado por Educação Ativa terça-feira, 9 de novembro de 2010


O verão está chegando, e com ele as deliciosas receitas preparadas com frutos do mar.
Posso dizer de "boca cheia", que sou um privilegiado, por morar em um Estado que tem um maravilhoso litoral, que desde sempre nos supriu com o melhor que a natureza pudesse nos dar, inclusive as delícias marinhas.
Somos um dos maiores produtores de ostras, camarões e pescados em geral, fazendo a alegria dos profissionais da área gastronômica e turística de Santa Catarina.
Um dos pratos mais  pedidos e mais servido em nosso litoral, é o "Risoto de Frutos do Mar", iguaria preferida pelos turistas que por aqui aportam, nessa época do ano.
Difícil mesmo é encontrar uma receita igual a outra, já que cada chef, e cada casa, faz questão de introduzir em sua receita, um toque mais requintado e pessoal.
Para vocês nossos leitores, uma das mais deliciosas versões, o famoso "Risotto Profumo di Mare", ou "Risoto com Perfume dos Mares".
Bom apetite!!!!!!!!!!

Ingredientes:
  1. 400 gr de arroz arbóreo
  2. 100 gr de camarões médios
  3. 100 gr de anéis de lula
  4. 100 gr de tentáculos de polvo (picados e cozidos)
  5. 50 gr de camarões médios puxados na manteiga (para decorar)
  6. 100 ml de azeite de oliva
  7. 100 gr de cebola (ralada)
  8. 2 colheres (sopa) manteiga sem sal
  9. 900 ml fumê  de peixe(receita aqui)
  10. 100 ml vinho branco seco
  11. 200 ge parmigiano(ralado)
  12. açafrão ou cúrcuma (dissolvidos em água)
  13. sal,  pimenta e ceboullete á gosto
Preparo:

Limpe os camarões, os anéis de lula e o polvo e deixe-os á parte, já temperados com sal e pimenta, e envolvidos com a cúrcuma diluída.
Enquanto isso, coloque o fumê, para aquecer.
Em outra panela coloque o azeite de oliva, para aquecer em fogo médio.
Coloque o arroz para "selar"no azeite, tomando o cuidado para não queimar.
Em seguida, junte a cebola, e continue fritando.
Junte o vinho branco, misture ao arroz e espere o álcool do vinho evaporar, preservando apenas o sabor e o aroma, que é o que mos interessa.
Aos poucos, sempre aos poucos, vá colocando o fumê sobre o arroz, sempre mexendo, e sempre esperando o líquido reduzir, para acrescentar mais.
Quando o arroz estiver cozido, mais ainda "al dente", acrescente os camarões, os anéis de lula e o polvo.
Assim que os camarões e os anéis de lula estiverem quase cozidos, junte a manteiga e misture bem.
Por fim junte a ceboullete e parmigiano, tomando o cuidado para se misturarem por igual ao risoto.
Acerte o sal,  coloque em um prato, de preferência fundo e decore com os camarões, puxados na manteiga.

Serve: 4 porções.

                                                              Experimente também:
                                        Risoto de Camarões com Limão Siciliano e Pimenta rosa

Panna Cotta

Postado por Educação Ativa sábado, 6 de novembro de 2010


Se existe uma sobremesa que Italiano gosta, essa sobremesa é a Panna Cotta.
Apesar de encontrarmos, receitas semelhantes na Grécia, Finlândia e França, não há dúvidas de que foi inventada na Itália, mas precisamente na região norte, próximo a Piemonte.
Uma coisa inusitada nas primeiras receitas, era o uso de caldo de ossos de peixe, no lugar da  gelatina que mais tarde se tornou ingrediente essencial.
Além disso eram usadas avelãs e frutas no lugar do açúcar.
Diferente em cada região, a Panna Cotta que literalmente significa "Nata Cozida" é encontrada em vários sabores e com vários ingredientes, como por exemplo, frutas silvestres, chocolate , caramelo e até com coulis de outras frutas.
Além disso existem alguns segredinhos em cada receita, um deles é que quanto mais gelatina, mais firme ela fica, e quanto mais creme de leite (nata), mais cremosa.
Para nossos queridos leitores, mais uma receita deliciosa, esta com cobertura de Coulis de Morangos.

Ingredientes: Panna Cotta
  1. 350 gr de creme de leite fresco (nata)
  2. 300 gr de leite (integral)
  3. 150 gr de açúcar
  4. 7 gr de gelatina em pó (diluída em 25 ml de água morna)
  5. algumas gotas de essência de baunilha (cuidado para não exagerar)
Ingredientes: Coulis
  1. 200gr de morangos ( lavados e picados)
  2. 2 colheres ( sopa ) de açúcar
  3. 100 ml licor Curaçau ou Cointreau
Preparo:
Leve uma panela ao fogo médio, com o leite , a nata e o açúcar.
Mexa bem, até dissolver o açúcar, tomando o cuidado para não ferver.
Retire do fogo, junte a gelatina hidratada e as gotas de essência (ao seu gosto), tomando o cuidado para não exagerar, o que vai deixá-la com um sabor muito forte.
Misture bem, distribua em forminhas apropriadas , ou em uma forma única (de preferência as de plástico duro) e leve-as para gelar até ficarem firmes.
Na hora de desenformar, passe a ponta de uma faca fina ao redor da  forma, e vire-a sobre uma travessa com superfície plana.
Para a coulis de morangos, junte tudo no liquidificador e bata.
Leve ao fogo médio por 5 minutos , retire do fogo e leve par resfriar.
Cubra a sobremesa com esta calda e sirva.
Se desejar, decore com metades de morangos e hortelã.

Rendimento: + ou - 10 porções

                                                            Experimente também
                                               Tartufo com Calda de Frutas Vermelhas
                                                                   

Molho Bolognese

Postado por Educação Ativa


INGREDIENTES:
  1. 300 gr de carne moída (ou em cubos)
  2. 200 gr de bacon (ou toucinho)
  3. 50 ml azeite de oliva
  4. 100 gr de tomate italiano (sem sementes e em cubos)
  5. 50 gr de cebolas (picadas)
  6. 2 dentes de alho (picado)
  7. 50 gr de cenoura (em cubos)
  8. 50 gr de talos de salsão (picados)
  9. 100 ml de vinho branco seco
  10. 200 ml de polpa de tomate (ou molho ao sugo)
PREPARO:
Em uma frigideira ou panela, não muito rasa coloque o azeite para aquecer.
Leve primeiramente o Bacon para fritar e em seguida junte a carne, mexendo sempre para não queimar.
Escorra o excesso de gordura, e junte primeiro a cebola, depois o alho, a cenoura e em seguida o tomate em cubos, para refogar junto com as carnes.
Após refogá-los junte o salsão e o vinho branco.
Deixe reduzir por uns 10 minutos, e junte a polpa de tomate, deixando então o molho tomar consistência encorpada.
Se optar pelo molho ao sugo, irá demorar um pouco mais para encorpar.     
                                                  
                                                        Experimente também                                      
                                                            Molho Béchamel
                                                                  

Spaghetti alla Bolognese

Postado por Educação Ativa quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Embora a receita mais conhecida no mundo, seja "Spaghetti Alla Bolognese", a massa mais consumida pelos moradores de Bologna é o Tagliatelle.
Quem está certo? Os moradores da região de Bologna, ou o resto do mundo?
Todos, afinal o motivo de eles terem preferência pelo Tagliatelle é pelo simples fato deste tipo de massa ser originário da região.
Quanto ao molho..........
Segundo a Accademia Italiana della Cuccina o verdadeiro "ragú" ou molho Bolognese contém em seus ingredientes apenas, carne bovina, panceta, cebola, cenoura, salsão, tomates, caldo de carne e vinho branco.
Porém, assim como a maioria das receitas de sucesso, com o tempo, o "ragú" foi sendo modificado e incrementado pelos gourmets, apreciadores da iguaria.
Mesmo na região de Bologna, em datas especiais, o molho é enriquecido com outros ingredientes, como por exemplo, mortadela, cogumelos frescos e ervas.
Aqui no Brasil o molho mais tradicional, é aquele, com carne moída e refogada, com cebola, alho e polpa de tomate, o que não impede que restaurantes, mais sofisticados usem em seu molho, ingredientes que venham acrescentar mais sabor e aroma, caso do Bacon ou toucinho e do lombo suíno em cubos.
Para presentear nossos leitores, mais uma das delícias da Itália, desta vez com Spaghetti.

Ingredientes:
  1. 250gr de Spaghetti (grano duro)
  2. 300 gr de carne moída (ou em cubos)
  3. 200 gr de bacon (ou toucinho)
  4. 50 ml azeite de oliva
  5. 100 gr de tomate italiano (sem sementes e em cubos)
  6. 50 gr de cebolas (picadas)
  7. 2 dentes de alho (picado)
  8. 50 gr de cenoura (em cubos)
  9. 50 gr de talos de salsão (picados)
  10. 100 ml de vinho branco seco
  11. 200 ml de polpa de tomate (ou molho ao sugo)
Preparo:
Coloque o Spaghetti para cozinhar em água e sal, depois escorra e mantenha em local aquecido, enquanto prepara o molho.
Em uma frigideira ou panela, não muito rasa coloque o azeite para aquecer.
Leve primeiramente o Bacon para fritar e em seguida junte a carne, mexendo sempre para não queimar.
Escorra o excesso de gordura, e junte primeiro a cebola, depois o alho, a cenoura e em seguida o tomate em cubos, para refogar junto com as carnes.
Após refogá-los junte o salsão e o vinho branco.
Deixe reduzir por uns 10 minutos, e junte a polpa de tomate, deixando então o molho tomar consistência encorpada.
Se optar pelo molho ao sugo, irá demorar um pouco mais para encorpar.
Coloque o spaghetti em um prato fundo, e cubra com o molho e queijo "parmigiano".

                                                              Experimente também
                                                                Spaghetti ao Sugo
                                                                       


Argumentação e texto: Wanderchef

Alfajor

Postado por Educação Ativa quarta-feira, 3 de novembro de 2010


Quando se fala em Alfajor, logo se vem  a mente que este conhecido doce, é mais uma das deliciosas invenções dos nossos hermanos Argentinos, já que foi de lá que vieram as primeiras porções para o Brasil....... errado!
Esta delícia, provavelmente foi inventada pelos Árabes, e de lá, também vem a origem do nome Alfajor, Al Hasu em Árabe, que significa "recheado".
Antes de aportar nas Américas, este doce  fez sucesso na Espanha, de onde muitos ainda acham que foi sua verdadeira origem.
Depois chegou por aqui primeiro na Argentina, Chile, Uruguai e depois sim, Brasil.
A receita tradicional consistia de duas camadas, de uma "bolacha crocante" que depois era recheada com doce de leite, e coberta com açúcar fino ou  chocolate derretido, mas hoje é comum encontrá-los com recheios de goiabada, creme de confeiteiro ou geléias, e ainda cobertos com côco ralado ou reduções de açúcar com essências.
Hoje, postamos para nossos leitores uma de nossas receitas, que a princípio, se parece muito com a original, mas que pode ser modificada ao seu gosto, tanto o recheio quanto a cobertura.
Bom apetite!!!!!!!!!!!!

Ingredientes: Massa
  1.  250 gr de farinha de trigo
  2. 400 gr de amido de milho (maizena)
  3. 280 gr de manteiga (sem sal)
  4. 200 gr de açúcar
  5. 2 ovos
  6. 2 gemas
  7. 1 colher (sopa) de mel
  8. 1 colher (sopa ) de fermento em pó (royal)
  9. Algumas gotas de essência de baunilha
Ingrediente: Recheio
  1.  Goiabada ou ...
  2. Doce de Leite (Coloque uma lata de Leite Condensado sem abrí-la, para cozinhar em água fervendo por 40 minutos.Espere esfriar, abra a lata, e recheie as bolachas.)
Ingrediente : Cobertura
  1. 200 gr de chocolate ao leite
  2. 100 gr de chocolate meio amargo
Preparo:

Bata os ovos, com as gemas, o açúcar, a manteiga  e a essência.
Em seguida junte, o amido, o trigo, o mel e por último o fermento.
Misture bem, até formar uma massa homogênia e lisa, que desgrude da mão. Se nescessário acrescente um pouco mais de amido.
Cubra com um plástico e deixe descansar por uns 20 minutos.
Com a ajuda de um rolo ou cilindro, abra a massa com uma espessura de no máximo 0,5 centímetros.
Em seguida com a ajuda de um aro ou até mesmo um copo tipo "americano", corte pequenos círculos, para formar a bolacha.
A massa que sobra deve ser novamente "esticada" e cortada.
Leve as bolachas para assarem em assadeira untada e enfarinhada, com forno em temperatura média, por mais ou menos 10 minutos, ou até a massa dourar.
Retire-as do forno, espere as bolachas esfriarem, cubra uma das camadas com o recheio e "cole" outra bolacha, formando assim os Alfajores.
Para a cobertura, derreta os chocolates  misturados, em banho- maria e cubra os doces.
Depois, espere esfriar e embale em sacola plástica fechada, para não murcharem.


Argumentação e texto : Wanderchef

Cheese Cake de Morango

Postado por Educação Ativa segunda-feira, 1 de novembro de 2010


Receita tradicionalmente Americana, o "Cheese Cake", pode ser servido como sobremesa, doce para festa ou até mesmo como lanche.
Além disso, pode ser preparada de várias formas ou com vários sabores.
Aqui no Brasil, tradicionalmente se usa ricota, queijo cremoso tipo "creme cheese"ou requeijão, nata e até mesmo minas.
Quanto ao sabor, pode ser, de  limão, maracujá, morango ou até chocolate.
Como algumas leitoras pediram, estamos postando esta versão,com morangos para dar o sabor e a beleza, e ricota e requeijão para o recheio.
Bom apetite!!!!!!

Ingredientes: para a massa
  1. 200 gr de bolacha maizena (triturada)
  2. 50 gr de manteiga (derretida)
Ingredientes: para o recheio
  1.  3 gemas (peneiradas)
  2. 300 gr de requeijão
  3. 200 gr de ricota (triturada)
  4. 150 gr de açúcar
  5. 30 gr de farinha de trigo
  6. algumas gotas de essência de baunilha
Ingredientes: para a cobertura
  1. 300 gr de morangos picados ( bem maduros)
  2. 100 gr de morangos metades (para decorar)
  3. 2 colheres (chá) gelatina de morango
  4. 100 ml água
  5. 100 ml água (morna) para hidratar a gelatina
  6. 150 gr de açúcar
Preparo:

Para a massa, triture as bolachas e misture com a manteiga, até formar uma farofa úmida.
Se for necessário junte um pouco mais de manteiga derretida.
Forre uma forma com aro removível, com papel manteiga.
Espalhe a farofa de bolacha, sobre o fundo de papel manteiga, e dê uma leve espremida, formando assim, um fundo de bolachas.
leve ao forno médio por + ou - 10 minutos , ou até a massa "firmar".

Para o recheio, leve as gemas e o açúcar para bater em velocidade média.
Junte, o requeijão, a ricota triturada, as gotas de essência e por último o trigo.
Assim que se transformar em um creme homogênio, retire da batedeira e coloque sobre a massa, já fria.
leve ao forno, 180 graus por 20 minutos ou até o "Cheese Cake" começar a dourar.

Para a cobertura, coloque os 100 ml de água para aquecer, junte os morangos picados, o açúcar e deixe ferver por 2 minutos, junte a gelatina hidratada, na água morna e leve para esfriar .
Assim que esfriar junte o restante dos morangos.
Após, cubra o "cheese cake" e sirva em fatias.

Argumentação e texto: Wanderchef

OUTRAS RECEITAS

Pesquisar este blog

COMPARTILHE

VISITANTES

SEGUIDORES

MEUS BLOGS PREFERIDOS